LITERATURA – BRASILEIRA


Mês: maio 2015

  • Sinto que o mês presente me assassina

    Foto: Cia. de Bolso Sinto que o mês presente me assassina, As aves atuais nasceram mudasE o tempo na verdade tem domíniosobre homens nus ao sul das luas curvas. Sinto que o mês presente me assassina, Corro despido atrás de um cristo preso, Cavalheiro gentil que me abominaE atrai-me ao despudor da luz esquerda Ao […]

  • A ponto de partir (Ana Cristina Cesar)

    A ponto de partir, já sei que nossos olhos sorriam para sempre na distância. Parece pouco? Chão de sal grosso, e ouro que se racha. A ponto de partir, já sei que nossos olhos sorriem na distância. Lentes escuríssimas sob os pilotis. Leia outros poemas de Ana Cristina Cesar  Tu Queres Sono: Despe-te dos Ruídos​​​Contagem […]

  • Vita nuova (Olavo Bilac)

    The Kiss, por Gustav Klimt, 1907-1908 Se ao mesmo gozo antigo me convidas,Com esses mesmos olhos abrasados,Mata a recordação das horas idas,Das horas que vivemos apartados! Não me fales das lágrimas perdidas,Não me fales dos beijos dissipados!Há numa vida humana cem mil vidas,Cabem num coração cem mil pecados!Amo-te! A febre, que supunhas morta,Revive. Esquece o […]

  • Das utopias

    Se as coisas são inatingíveis…ora!Não é motivo para não querê-las…Que tristes os caminhos, se não foraA mágica presença das estrelas(Mário Quintana) Poema extraído do livro Espelho Mágico de Mário Quintana, publicado em 1951. Capa do livro Espelho Mágico  Leia outros poemas de Mário Quintana .. Eu ouço a música O pobre Poema Se eu fosse um […]

  • Congresso Internacional do Medo (Drummond)

    Pintura de Ljuba Adanja 2002 Provisoriamente não cantaremos o amor,que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.Cantaremos o medo, que estereliza os abraços,não cantaremos o ódio, porque este não existe,existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro,o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das […]

  • DESAFIO : Mulheres na Academia Brasileira de Letras

    A Academia Brasileira de Letras (ABL) é a instituição cultural máxima para a divulgação da língua e da cultura brasileira. Ela foi fundada em 1897 por iniciativa de homens geniais, como o escritor Machado de Assis. Infelizmente até hoje, mesmo num país cuja maioria da população é feminina, cujas mulheres têm mais educação formal que […]

  • “— Vais encontrar o mundo, disse-me meu pai, à porta do Ateneu.”

    O Ateneu é o romance mais conhecido do escritor Raul Pompeia (1863-1895). É uma prosa poética, contada em primeira pessoa pelo personagem Sérgio, sobre sua a traumática formação dentro de um internato privado no Rio de Janeiro (o Ateneu).A sociedade da época reprimia afetividade e ternura dos homens (não tão distante dos dias atuais) de […]

  • Parte IV: Visconde de Taunay, um escritor feminista!

    Também se destacam as seguintes obras de Taunay: Ouro Sobre Azul (1875), Manuscritos de uma Mulher (1873), O Encilhamento: Cenas contemporâneas da Bolsa do Rio de Janeiro em 1890,1891 e 1892 (1893). Ouro sobre Azul é um romance ambientado no Rio de Janeiro e dirigido ao grande público. A expressão Mas isso é ouro sobre […]